Empreender para fugir da crise

Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Juntas, as cerca de 9 milhões de micro e pequenas empresas no país representam 27% do PIB, um resultado que vem crescendo nos últimos anos, de acordo com dados revelados pelo SEBRAE. Essas são as principais geradoras de riqueza no comércio no Brasil, já que respondem por 53,4% do PIB neste setor. Na indústria, a participação é de 22,5%, se aproximando das médias (24,5%).

No setor de serviços, mais de um terço da produção nacional (36,3%) tem origem nos pequenos negócios. A crise que o Brasil enfrenta há um bom tempo, vem forçando muitas pessoas a encontrar uma saída para pagar as contas do mês e conseguir uma renda extra. Vários são os ramos, mas o que mais se destaca é a culinária. Vários empreendedores encontram dentro de sua própria residência um local para a prática nos seus trabalhos, como a dona de casa Sandra Roseles, que junto com sua afilhada decidiu abrir um negócio no ramo de doces e salgados. Outro caso é o de Lucas Simões, que por sua vez abriu uma lanchonete com sua mãe que já trabalhava no ramo, a Burger Lanches.

IMG_9293“Abrimos uma página no Facebook para fazer a nossa propaganda. Sai uma encomenda, a gente tira foto e posta, é uma boa ferramenta. Minha sobrinha tem mais conhecimento sobre internet e me ajuda, ela consegue trazer pedidos pelas redes sociais, geralmente os clientes entram em contato com ela e ela nos repassa”, destaca Sandra.

Ambos têm em comum a criatividade para tentar sobressair do momento delicado vivido no país. As redes sociais são grandes aliadas desses microempreendedores, que divulgam seus produtos afim de uma maior visibilidade e assim aumentar os números os rendimentos. Vendas e anúncios pela internet são cada vez mais comuns entre empreendedores, por ser um meio em ascensão no mundo e especificamente no Brasil. Segundo dados do e-bit, em 2013 eram 43 milhões de e-consumidores contra 1,1 milhão em 2001.

O maior incentivador para essas pessoas é o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), que é o braço direito de muitos que buscam se tornar empreendedor. Nestes casos, o ambiente econômico que parece desfavorável pode proporcionar ótimas opções de investimento. Historicamente, os momentos de dificuldades econômicas têm sido o berço de ótimos negócios. Enquanto está todo mundo desanimado e se deixando levar pelo derrotismo, alguns empreendedores identificam oportunidades para começar seus negócios. O próprio SEBRAE dispõe em seu site uma aba com orientações sobre a venda pela internet, incentivando os microempreendedores a abrirem contas nas redes sociais e dando dicas de como fazer um bom trabalho, conseguindo assim mais um aliado para a melhora de seu negócio.

Por Felipe Holanda, Jefferson Moraes, João Pedro Simões, Mateus Schuler e Paulo Henrique

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *