E AGORA? MDP OU MDF?

Como é ruim chegar a uma loja e não saber se o que estão lhe oferecendo é de boa ou má qualidade. Não conhecer alguns segredos, pode trazer alguns problemas. Uma das características dos móveis que mais reflete na sua qualidade é o tipo de madeira. Saber a diferença e como usar cada um é importante para comprar móveis que duram mais e também poupar dinheiro.

Nos dias de hoje, móveis com painéis de madeira MDF E MDP estão cada vez mais populares. Eles entraram no mercado mobiliário para substituir os aglomerados de baixa qualidade e as madeiras maciças. Considerados painéis de média densidade, são produzidos por meio de processos semelhantes. Mas a pergunta mais importante é: Você sabe a diferença do tipo de madeira MDP E MDF?

 mdf-ou-mdp

Com curiosidade, fomos atrás de alguns internautas e a resposta não foi muito satisfatória:

foto 1

foto 2

O arquiteto Linnek Mateus Arruda, formado pela Universidade Federal de Pernambuco, esclareceu e tirou as dúvidas sobre as vantagens e desvantagens de cada tipo de madeira.

Ele explicou que o MDF recebe mais facilidade aplicações de pintura e é recomendado para os casos que necessitem de usinagens de superfície ou topo, pois ele proporciona melhor resultado de acabamento e permite mais criatividade no design do móvel, pois faz contornos e formas arredondadas com mais facilidade. O painel MDP, em termos de montagem e desmontagem do mesmo móvel, tem mais resistência, sendo um pouco mais limitado em termos de acabamento, é utilizado na fabricação de móveis residenciais convencionais, tem linhas mais retas e formas orgânicas.

O arquiteto Linnek Mateus ainda afirma que a vida útil de ambos é semelhante à da madeira natural, mas é preciso atenção! Ambos devem ser protegidos da umidade, pois a resistência à água é limitada.

Vant_x_Desv

MDF e MDP no mesmo móvel

A junção dos tipos também é aceitável e vai trazer um resultado bastante interessante para quem deseja ousar, já que cada estrutura se distingue. Pode-se abusar da criatividade no acabamento externo, como guarda-roupas, por exemplo. A limitação do MDP acaba sendo compensada com as possibilidades criativas do MDF, fora o custo reduzido do produto final.

O Arquiteto Linnek Mateus Arruda, afirmou que utilizando os dois tipos, a pessoa acaba não dependendo de um único fornecedor, de um único tipo de produto, essa união pode ser lucrativa tanto para o consumidor quanto para o fornecedor. As partes maiores dos móveis são estruturadas em linha reta. Isso significa que as fábricas podem utilizar mais o MDP, que é um produto mais econômico.

“A combinação disso com o MDF e compensado faz com que o fabricante tenha um móvel com preço mais competitivo e, o mais importante, com garantia de qualidade. Recomendamos ao fabricante aliar o design às características técnicas dos painéis disponíveis para a fabricação do móvel, buscando sempre a melhor relação custo-benefício para garantir a competitividade do produto final”.

Ysabela Nascimento

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *